Arquivo da tag: HECO Produções

MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO, BOM PRA QUEM?

O evento que abrange cerca de milhares de visitantes ao município traz cultura e cinema de qualidade, mas mesmo assim ouve críticas negativas de falsos moralistas (ou haters).

POR AIRIS VITAL E AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

IMG-20171119-WA0059.jpg

A Mostra de Cinema de Gostoso teve sua 4ª edição realizada neste ano de 2017 e durante estes anos mudou a rotina da cidade de São Miguel do Gostoso de forma arrebatadora. Sem sombra de dúvida se tornou o principal evento cultural em questão de mídia e número de apoiadores.

Porém, ano após ano, por incrível que pareça, lemos críticos nas redes sociais (seriam haters?) falando que os filmes exibidos não tem nível bom, que as pessoas só se aproveitam da cidade e o pior de tudo, que a Mostra de Cinema não traz benefícios.

Estas pessoas definitivamente não entendem que a CULTURA não é valorizada nesse país e o pior é que pouco aplaudem as iniciativas que só engrandecem o município e colocam Gostoso em um status de importância nacional como um dos principais festivais de cinema do ano no Brasil.

Nós resolvemos dissertar sobre alguns pontos que nossos amigos haters tanto questionam:

PROJETOS QUE FAZEM GOSTOSENSES CRESCEREM

IMG-20171118-WA0021.jpg
Coletivo Nós do Audiovisual.

Todo mundo fala que a TV manipula informação. Que devemos ser críticos com a mídia que estamos tendo acesso. Porém, onde fica as instruções de como ser um perfeito analista de informação?

O jornalismo, documentários, e filmes são sem dúvida alguns dos mais populares meios de formação de conhecimento e divulgação de informação. A cidade de São Miguel do Gostoso é uma que vem sendo contemplada com esses meios informativos a um bom tempo.

Vou começar por uma ação realizada pelo Espaço TEAR com oficinas de jornalismo e fotografia desde 2008, o fruto desse projeto é a revista Guajirú que teve quatro edições concretizadas. Até mesmo programa de rádio já foi ao ar, através de atuação desses mesmos jovens, pela ONG. A AMJUS é uma outra instituição, por exemplo, que motiva jovens a escreverem jornais locais, conscientizando a população sobre diversos assuntos como a preservação ambiental.

Um dos mais recentes projetos que estão na cidade é a MOSTRA DE CINEMA, que tem uma proporção nacional. E que envolve jovens do interior e da sede municipal, com oficinas e cursos voltados a área do audiovisual.

Vocês podem estar se perguntado, porque tanta contextualização sobre projetos e mídias informativas em Gostoso. É para ressaltar o potencialidade que temos para aprimorar nossa visão para o modo que recebemos e divulgamos a informação.

Se juntar todos os jovens envolvidos nos projetos citados acima, fora os outros subcategorizados e/ou categorizados em vertentes socioeducativas, notaremos em comparação ao quantitativo de jovens locais, que podemos sim FAZER A DIFERENÇA NO MUNDO, começando em Gostoso.

DAR ACESSO À CULTURA E À DIVERSIDADE NÃO É IMPOSIÇÃO

IMG-20171118-WA0015.jpg
Programação da Mostra de Cinema é exposta para todos!

Temos ferramentas para fazer, transformar e construir. Mas como diz por aí a prática leva a perfeição. E nossos jovens “amadores” já possuem 10 filmes, internalizando e eternizando muito de nossa identidade local. Quem melhor do que nós mesmo para falar de nossa própria realidade? Gente da gente, que sabe as dificuldades e sonhos. Temos acesso as maiores fontes, da memória vida de Gostoso… Nossos avós, pais, tios contando aquilo que não tá registrado na biblioteca local.

Nossa cidade possui um potencial gigantesco para o turismo. Já parou para pensar em quanto a cidade mudou nesses últimos 7 anos? Para mim foi como se tivesse passado uns 15. A partir daqui surgem outros questionamentos: evoluímos ou regredimos? Podemos ir ainda mais fundo, sobre identidade social quem ganhou mais, nativos ou estrangeiros?

Se essa geração tem potencial para ser protagonista na informação e formação de opinião. Porque não investir em um evento nacional, onde gera intercâmbio de conhecimento e oportunidades?

Canudo Ricciotto (1912)*, atribuiu ao cinema a expressão sétima arte, pois em “síntese” demostrava uma arte total, como: a música, pintura, escultura, arquitetura, poesia, dança e outros. O detalhe disso é como as diferentes linguagens do cinema tomaram conta das ruas de Gostoso, você pode até não entender, mas no mínimo o fato de ter lhe intrigado já é uma grande resposta que você pode dar para o diretor. As pessoas têm que aprender que o diferente é bom e deve-se respeitá-lo acima de tudo.

A programação é divulgada com semanas de antecedência e todos têm acesso a isso. A pesquisa sobre a faixa etária e o conteúdo das obras é válida e depende de cada um. Só por isso o argumento de que as temáticas das obras SÃO IMPOSTAS ao público cai por terra. Você assiste se quiser! Os debates no dia seguinte, para falar sobre as obras, são um sucesso porque ajudam a entender justamente a intenção dos envolvidos nesses filmes.

Nós mesmos do Contador para fazer a cobertura do evento temos que pesquisar todas as obras selecionadas, para contar para vocês o melhor do festival. 

Outro ponto falado por aí é que a HECO Produções trabalha simplesmente por lucro financeiro para realização do evento, podem tirar o cavalinho da chuva, nem eles, muito menos o CDHEC ganham nada pelo trabalho de co-realização, aliás ganham sim: prestígio. 

Todo o dinheiro para que este gigantesco projeto saia do papel vem de editais e incentivos, na maioria públicos, como o RN Sustentável e o BNDES. A prefeitura, por sua vez, ajuda na parte logística e de produção, mas de forma alguma foi COLOCADO DINHEIRO DE ALGUM OUTRO SETOR MUNICIPAL PARA GERIR O EVENTO, nunca foi realizado qualquer tipo de desembolso ou convênio para esse projeto .

O CINEMA BRASILEIRO NÃO É IGUAL AO AMERICANO

Mostra competitiva capa
Cinema nacional é bom demais! Pena que não há incentivo 😥

Se puxarmos diretamente para a Mostra, foram exibidos 211 filmes de 16 estados nessas 4 edições. Obras de TODAS AS REGIÕES DO PAÍS, premiados tanto aqui como nos festivais internacionais, em especial Cannes.

Pelo que vimos os artistas brasileiros se empenham em trazer mensagens de empoderamento feminino (filme ‘Baronesa’ de Juliana Antunes), resistência (‘Escolas em Luta’ de Rodrigo T. Marques, Tiago Tambeli e Eduardo Consonni), luta contra homofobia (‘No Fim de Tudo’ de Victor Ciriaco), clamor pelos direitos sociais (‘Leningrado, Linha 41’ de Dênia Cruz)… Todos são temas que VOCÊ NÃO PODE IGNORAR! Tem que ser debatido!

O cinema brasileiro não é e jamais será do mesmo jeito que o americano, esse negócio de começo, meio e fim com herói e mocinha não é a nossa praia. Aqui é fazer pensar na realidade do seu país, da sua cidade, da sua rua. Claro que as pessoas tem o direito de gostar ou não, mas é inegável a importância das artes trazerem essas conversas à tona.

Concluindo, respondemos a pergunta do título com a seguinte colocação: o cinema em Gostoso é bom para todos. O pousadeiro/comerciante ganha (e muito), o município tem a mídia nacional voltada para si por 5 dias, o povo tem acesso a cinema brasileiro de alta qualidade gratuitamente e os alunos são imersos em um clima riquíssimo de influências culturais. Sem falar que o território do Mato Grande também ganhou um festival no “quintal da sua casa”… Tudo é incrível!

Se pode haver erros? Claro! Entretanto, é um absurdo alguém chegar na rede social e digitar que o NATIVO NÃO GANHA NADA COM ISSO. Quem não ganha é você, meu amigo hater, que pode continuar a vomitar palavras pelo seu teclado… Em 5 anos a Mostra só teve ascensão enquanto você tenta ganhar seus 15 minutos de fama se aproveitando dela.

Nós continuamos de olho!

 

*REFERÊNCIAS INFORMATIVAS:

Anúncios

O QUE MARCOU NA 4ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO? VEJA NOSSO TOP 10

Nossa equipe montou uma lista com dez destaques que ficaram na nossa mente durante esta 4ª edição do festival.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

23755226_2042537469366726_8280363405960439798_n

A 4ª Mostra de Cinema de Gostoso aconteceu de 17 a 21 de novembro na cidade de São Miguel do Gostoso e neste período pudemos ter ao nosso alcance a nata do cinema nacional.

Mas o evento acabou e se você não curtiu isso é realmente uma pena. Nós não nos contivemos e elegemos 10 pontos de destaque na edição deste ano, confira se você concorda ou não e diga sua opinião nas nossas redes sociais.

Veja:

  • #1 PÚBLICO RECORDE

IMG-20171119-WA0058.jpg

A Mostra de Cinema de Gostoso pode comemorar e muito o sucesso de público nas suas sessões. Havia até uma certa preocupação da adesão da população devido ao cancelamento da edição em 2016, mas o que vimos foi uma multidão de gente que tomou a praia e as sessões do Centro de Cultura.

Com uma média de 1500 pessoas por noite, já foi mais do que provado que a Mostra de Cinema de Gostoso já está consagrada no coração dos gostosenses.

  • #2 DOBRADINHA DE SUCESSO

IMG-20171118-WA0017.jpg

Enquanto um tem o gênio mais forte e aparenta ser mais disciplinador o outro tem a docilidade e o grande carisma que cativa.

Os mestres de cerimônia e idealizadores da Mostra de Cinema de Gostoso, Eugênio Puppo e Matheus Sundfeld, são uma receita de sucesso que temos o prazer de assistir em todas as edições. O entrosamento deles é impressionante, tanto que na sua obra recém lançada, “A Rotação da Terra”, Matheus convidou Puppo para fazer uma ponta de ator.

  • #3 A MOSTRA DOS DOCUMENTÁRIOS

ESCOLAS_EM_LUTA_3-1024x576
Cena de “Escolas em Luta”

Uma grande marca dessa Mostra de Cinema de Gostoso foram os documentários, em todas as sessões os docs foram bem comentados e causaram muitas reflexões nos debates como as temáticas das lutas sociais, das políticas públicas, do empoderamento feminino, etc.

Para verificar esta constatação, basta ver os vencedores desta edição: “Leningrado, Linha 41” e “Escolas em Luta” são documentários, além disso, “Gabriel e a Montanha” é uma ficção, mas que bebe um pouco da água deste gênero cinematográfico.

  • #4 AUDIOVISUAL DO RN: UM CENÁRIO DESOLADOR

IMG-20171120-WA0030.jpg

A mesa redonda sobre o audiovisual potiguar nos mostrou que a situação do estado em questão de incentivo é deprimente, só há apenas um edital (Cine Natal) para as produções mesmo assim se restringe a capital e o pior de tudo é que neste ano ele ainda não foi divulgado.

Por outro lado a Mostra nos proporcionou ver que os nossos artistas estão cada vez melhores, o curta “No Fim de Tudo” do Victor Ciriaco foi de uma sensibilidade tão marcante que acabou vencendo o prêmio de melhor curta desta edição que é por júri popular. Por sua vez, o “Leningrado, Linha 41” da Dênia Cruz também foi marcante, pois demonstrou a história de luta da comunidade que é desconhecida pelos próprios potiguares.

  • #5 DEBATES QUE MEXERAM

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.55
Affonso Uchôa (Arábia).

Quatro debates com os realizadores e duas mesas redondas foram extremamente impactantes nesta edição. Todos os dias, assuntos que levantaram as tramas das obras foram abordados e mostraram que ainda há esperança para que tenhamos uma realidade social melhor.

Em especial, podemos destacar os diretores Eduardo Consonni (Escolas em Luta), Rodrigo Marques (Escolas em Luta), Ary Rosa (Café Com Canela), Affonso Uchôa (Arábia) e o ator João Pedro Zappa (Gabriel e a Montanha). Eles foram alvo de inúmeras perguntas o que demonstra o quanto as pessoas realmente tentavam entender o que estavam assistindo, no entanto também vale destacar a simpatia deles, onde pelo que declararam também se sentiram bem acolhidos pelos gostosenses.

  • #6 VISITA DOS VIZINHOS

IMG_20171117_114219_869.jpg
Alunos de Pureza vieram prestigiar a Mostra

Escolas de João Câmara, Pureza e Touros vieram assistir algumas sessões da Mostra e isso foi importante, pois é um reflexo que os outros municípios do Mato Grande estão começando a entender a importância do festival e o quanto o cinema pode ser uma ferramenta para o desenvolvimento da educação.

Alguns distritos de São Miguel do Gostoso também estiveram presentes, apesar da polêmica que envolveu a crise na educação gostosense, os professores puderam se mobilizar e trazer seus alunos.

  • #7 LINGUAGENS DO CINEMA

Alguns filmes sofreram umas criticas dos nativos por causa das linguagens que nem sempre são bem interpretadas, mas pelo que percebemos o cinema nacional é uma questão de hábito e que requer estarmos atentos aos temas que mexem com o nosso país porque tem um certo time.

Sem falar que algumas obras deixam o final aberto, o que pode provocar estranhamento para quem está acostumado com o estilo hollywoodiano de filmes. Levantar essas questões nas redes sociais e nas ruas foi mais um ponto positivo desta Mostra.

  • #8 NÓS DO AUDIOVISUAL

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.57
Parte da produção da Mostra de Cinema de Gostoso.

Eles são a engrenagem que move a Mostra e mostraram mais uma vez que são espetaculares fazendo seus filmes. Os curtas gostosenses desse ano além de conscientizarem sobre o lixo (filme “Os Dois Lados do Lixo”) e de destacar uma peculiaridade local (filme “Moeda Gostoso”), também revelaram um ator nato: Everton Cardoso, o astro do “O Grande Ó”!

No debate, uma das componentes do coletivo, Rozangela Modesto, declarou que estão sendo desenvolvidos mais roteiros e prometeu que eles vão sim investir em mais produções de lendas locais, já que “O Pai da Noite” e “Flozinha” foram sucessos absolutos entre os nativos.

  • #9 UM PROBLEMA FORA DE CONTROLE

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, noite e atividades ao ar livre
Os faróis dos carros eram o mínimo que atrapalhava as sessões.

Como nem tudo são flores, um problema já apontado pelo Contador ficou escancarado na Mostra de Cinema de Gostoso: o trânsito na orla incomodou.

Durante as sessões na praia pudemos ver essa triste realidade, muitos veículos, motos e até quadriciclos dando voltas nas areias incomodando a sessão, além de serem um perigo para as crianças que passavam. Apenas na segunda-feira (20) que a presença de policiais barraram um pouco, mas o problema é grave.

Alguns meses atrás o Contador mostrou que veículos de imprensa como O Estado de São Paulo e Globo News destacaram esse problema com críticas.

  • #10 GABRIEL E A MONTANHA

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.54
João Pedro Zappa com o troféu de menção honrosa na Mostra.

Uma história real e sensível cativou São Miguel do Gostoso! Gabriel Buchmann registrou seus últimos 70 dias no continente africano e o diretor Felipe Barbosa deu vida a este diário colocando o ator João Pedro Zappa para viver o Gabriel. Que sucesso!

João Pedro estava em Gostoso e com seu carisma contagiante foi assediado por muita gente, além de ser um dos alvos do debate, como mencionado acima. Por isso não foi difícil de compreender porque o filme foi exibido duas vezes e ganhou o prêmio de Menção Honrosa.

Depois de tudo isso, só nos resta sentir mais saudades da Mostra e torcer para que a próxima edição chegue logo!

Vamos encerrando nossa cobertura deste grande evento, mas continuamos de olho!

PREMIAÇÃO, GOSTOSO, LUTAS SOCIAIS: O ÚLTIMO DIA DE MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO

Encerramento do festival, em noite mágica, premiou filmes que foram abraçados pelo público gostosense.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS ARICLENES SILVA

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.57 (1)
Equipe que realizou a 4ª Mostra de Cinema de Gostoso.

O último dia da Mostra de Cinema de Gostoso aconteceu nesta última terça-feira (21) na Praia do Maceió com a cerimônia de encerramento que premiou algumas obras eleitas por júri popular e o resultado demonstrou que o público gostosense prezou pela sensibilidade e pela temática da busca pelos seus direitos.

Conduzido por Eugênio Puppo e Matheus Sundfeld, o anúncio dos vencedores foram sendo mesclados com discursos de vitória pela 4ª edição ter sido um sucesso de crítica e participação popular. Durante as cinco noites da Mostra na Praia passaram cerca de seis mil espectadores e essas constatações podem ser comprovadas quando podemos ver a repercussão da imprensa sobre o evento, como no título da coluna do jornalista Luiz Zanin Oricchio do Jornal O Estado de São Paulo que diz: “Praia recebe ‘o mais belo festival do mundo'”.

Outro ponto marcante foi a escolha dos vencedores, onde além do prêmio Luis da Câmara Cascudo para o melhor longa, melhor curta e menção honrosa tivemos um prêmio especial dado pelas empresas Mistika e Imput, apoiadoras da Mostra, que consistia em um apoio financeiro na pós-produção de uma das obras.

Veja quais foram os vencedores:

PRÊMIO MISTIKA/IMPUT

Leningrado, Linha 41 (Dir: Dênia Cruz)

O curta potiguar “Leningrado, Linha 41” mostrava a história da ocupação da comunidade que recebe o nome da cidade russa pelas lideranças se reconhecerem na figura de Lênin. Ainda hoje alguns deles estão buscando pelo direito da moradia.

O filme causou muitos questionamentos, principalmente por se tratar de uma organização coletiva que conseguiu obter resultados como a aquisição de uma linha de ônibus para a comunidade, porém ainda faltam políticas públicas e reconhecimento do governo.

“É uma oportunidade e tanto! Realmente fazer cinema é um desafio, mas é uma honra ser interlocutora de histórias como a de Leningrado. Esse prêmio é para nós!”, disse a diretora Dênia Cruz.

MENÇÃO HONROSA

Gabriel e a Montanha (Dir: Felipe Barbosa)

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.54
Matheus Sundfeld, Bruno Beauchamps, João Pedro Zappa e Eugênio Puppo (esq. para dir.)

A história sensível e real de Gabriel Buchmann cativou tanto o público gostosense que concedeu a menção honrosa do festival ao filme. O ator que interpretou Gabriel, João Pedro Zappa, estava em São Miguel do Gostoso e demonstrou muita felicidade com o prêmio:

“Quero agradecer a todo mundo pelo prêmio. Desejo muito voltar aqui, eu estou muito feliz. Agradeço também a Eugênio e o Matheus por terem tido a sensibilidade de reexibirem o filme, foi tudo lindo”, declarou João Pedro Zappa.

MELHOR CURTA METRAGEM

No Fim de Tudo (Dir: Victor Ciriaco)

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.53
Hélio Ronyvon comemora prêmio de Melhor Curta da Mostra.

O curta, que tem DNA potiguar, levantava a bandeira do amor LGBT dentro da sua própria casa, da aceitação e de que o amor pode e deve ser maior do que qualquer rótulo. Pelo visto, esta mensagem foi entendida pelo público que elegeu o filme como melhor curta desta edição.

“Esse filme falava sobre amor e memória, é sobre como a gente precisa lutar para que dentro dos nossos lares tenhamos mais afeto”, disse o roteirista Hélio Ronyvon.

MELHOR LONGA METRAGEM

Escolas em Luta (Dir: Rodrigo Marques, Eduardo Consonni e Tiago Tambelli)

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.52
Emocionado, Rodrigo Marques comemora prêmio de Melhor Longa da Mostra.

Quando a sociedade se reúne, a coisa dá certo! Essa pode ser uma das principais mensagens do longa eleito por júri popular na Mostra de Cinema de Gostoso. A luta dos estudantes para evitar que escolas paulistas fossem fechadas pelo governo, ganhou as ruas gostosenses e fez soar esperança no meio de uma onda de descontentamento que o país vive na política atual.

“A gente vem de São Paulo e traz para o Rio Grande do Norte um filme de luta pelos estudantes. Temos que lutar por essa molecada! Abaixo escola sem partido!”, declarou o emocionado diretor Rodrigo Marques.

WhatsApp Image 2017-11-21 at 23.46.57 (2)
Elenco de A Rotação da Terra, dirigido por Matheus Sundfeld.

Na última sessão da noite, tivemos dois filmes que deram o gostinho de quero-mais ao festival. O curta “A Rotação da Terra” dirigido por Matheus Sundfeld teve como plano de fundo São Miguel do Gostoso e um cenário que se tornou parte da paisagem do município: os parques eólicos.

Além disso, a obra contou com atuação de atores locais como o surpreendente Eurílio Viana proveniente da comunidade do Antônio Conselheiro que deu um show de interpretação. A subjetividade e sensibilidade da trama também comoveu os espectadores que aplaudiram muito no final.

Na sequência, a Mostra deu seu último ato com o longa “Jonas e o Circo Sem Lona” que brincou com a ideia de que você deve lutar pelos seus sonhos, mesmo sendo uma criança.

O Contador já está com saudades da Mostra de Cinema de Gostoso! Mas estaremos juntos na 5ª edição!

Nós continuamos de olho, até qualquer hora!

LUTAS SOCIAIS FORAM DESTAQUE NO ÚLTIMO DIA DE DEBATES DA MOSTRA

Filmes que mostraram lutas pessoais e coletivas em busca de reconhecimento e vida melhor foram os condutores do debate.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.54
Rozângela Modesto, coletivo Nós do Audiovisual.

O último dia da Mostra de Cinema de Gostoso nesta terça-feira (21) começou com o Debate com os realizadores na Pousada dos Ponteiros e reuniu os diretores e membros de alguns filmes que foram exibidos na noite anterior.

Estavam reunidos na mesa Affonso Uchôa (Arábia), Wederson Neguinho (Arábia). Dênia Cruz (Leningrado, Linha 41), Juliana Antunes (Baronesa) e Rozangela Modesto (Coletivo Nós do Audiovisual) que abordaram vários assuntos importantes que deram a linha das suas obras.

Veja nosso resumão:

MADRUGADA A DENTRO

A noite desta segunda-feira (20) foi como sempre de bom público, desta vez contou com a visita de alunos do distrito do Antônio Conselheiro e do município de Touros.

As obras exibidas foram “Leningrado, Linha 41”, um curta potiguar que mostrou a luta de uma população em conseguir moradia após a ocupação de um terreno na região metropolitana de Natal. Na sequência, tivemos “Meninas Formicida” que mostrava os questionamentos de uma menina enquanto trabalhava contendo pestes em uma plantação de eucaliptos.

Por último tivemos o longa “Arábia” que de forma narrativa contou a história de Cristiano, um homem que buscava razões para se realizar na vida, porém sempre passava por situações complicadas.

A noite só terminou lá para as 2h da manhã, depois da exibição dos quatro curtas gostosenses de 2015 e a reexibição de “Gabriel e a Montanha”.

UMA LUTA DESDE O INÍCIO

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.55
Affonso Uchôa, diretor de Arábia.

“Arábia” foi um filme que despertou a curiosidade de muitas pessoas durante o debate e por isso o Affonso Uchôa foi o alvo da maioria das perguntas:

“O Processo de gestação do Arábia foi complexo. As duas origens do filme tem muitas relações com A Vizinhança do Tigre. O filme promove o encontro de Ouro Preto e Contagem e a ideia começou em uma adaptação do conto Arábia de Jennys Joyce”, declarou Affonso.

A parte política do filme também foi muito explorada, como as relações de trabalho moldam nossa vida, ainda mais em uma cidade bucólica como é o interior de Minas Gerais.

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.57
Wederson Neguinho, ator de Arábia.

“Desde o início deste país continuamos tirando coisas do chão e dando para os gringos. Quanto mais cresce o consumismo, diminui a consciência e por isso estamos a um ponto de voltar a uma sociedade com a miséria, e será pior que dos anos 90, pois agora há um discurso organizado de conformismo”, disse o diretor.

QUEREMOS TERRA

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.53
Luara, produtora de Leningrado, Linha 41.

A segunda maior ocupação do Brasil foi retratada de forma criativa com influências russas que basearam o nome da comunidade de Leningrado:

“As assembleias aconteciam no chamado ‘Domingo Vermelho’, o nome surgiu em homenagem a Lênin. A comunidade não entendia, então cabia as lideranças passarem a mensagem”, disse Dênia Cruz.

A narração em russo foi feita por um amigo das diretoras e de acordo com elas foi fundamental para fazer um link com o contexto histórico.

VIDA REAL, NA LATA

WhatsApp Image 2017-11-21 at 17.54.58
Juliana Antunes, diretora de Baronesa.

O curta “Baronesa” mostrou as mulheres batalhadoras das favelas em MG e a realidade das ações sem roteiro, ou como a diretora Juliana Antunes denominou de compartilhado:

“As meninas que participam do curta não são atrizes profissionais, construímos o roteiro juntas onde nós propusemos os temas e elas tocavam”, declarou Juliana.

Além desses temas, Rozângela Modesto do coletivo Nós do Audiovisual disse que eles pretendem lançar novas obras na linha ficcional que foram aclamados pelo público.

Os debates com os realizadores foram um sucesso de crítica e presença, durante todas as edições os temas foram bem embasados e ajudaram a divulgar ainda mais a Mostra de Cinema de Gostoso na cidade.

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

5 MOTIVOS PARA NÃO PERDER A MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO

Festival começa nesta sexta-feira (17) em São Miguel do Gostoso com mais de 50 filmes na sua programação.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

4-mostra-cinema-smdg-2017-banner-home

A Mostra de Cinema de Gostoso começa nesta sexta-feira (17) e o Contador resolveu montar aquela nossa lista famosa das 5 razões para você não perder este grande evento que terá nossa cobertura completa nas redes sociais.

Se programe e veja porquê não perder:

1 – ALTO NÍVEL DO CINEMA NACIONAL

Mostra competitiva capa
Obras de alto nível serão exibidas.

A Mostra sempre traz grandes cineastas, atores e produtores do cinema independente nacional. Justamente aqueles que você só vê em pouquíssimos lugares, então esta é a oportunidade de prestigiar as linguagens do cinema totalmente em verde-amarelo.

Apesar do ano sabático que tivemos em 2016, neste ano o evento promete ser um dos melhores desde que foi realizado pela primeira vez em 2013.

2 – PROGRAMAÇÃO VASTA E GRATUITA

Serão no mínimo três espaços da cidade para você desfrutar apenas com a programação da Mostra, além disso todos os eventos serão gratuitos e para toda a família.

Serão 55 filmes de 11 estados brasileiros divididos em três sessões: Mostra Infantil, Mostra Panorama, Mostra Competitiva e Sessões Especiais, que percorrerão todo o dia. Inclusive na Competitiva você pode votar nas obras que mais gostou para dar o prêmio de Melhor Curta e Melhor Longa Metragem.

3 – DEBATES E MESAS REDONDAS

Maria do Rosário na Mostra de Gostoso
Maria do Rosário Caetano vira destaque durante debates da Mostra de Cinema de Gostoso.

Um grande marco da Mostra são os debates com os realizadores que nesta edição acontecerão na Pousada dos Ponteiros e sempre reúne grandes personalidades para discutir sobre aquele detalhe que passou despercebido ou mesmo para entender o que você não entendeu! É um barato!

Nesse ano a novidade será uma mesa redonda sobre o audiovisual do RN que acontecerá na segunda-feira (20) às 10h.

4 – VEM PRA PRAIA!

mostra 2014
Mostra de Cinema de Gostoso entrou para o calendário do estado. Na foto a edição de 2014.

Um telão de 12m nas areias da Praia do Maceió… Quer convite melhor do que esse para você desfrutar da Mostra de Cinema de Gostoso? Traga seus amigos para a praia e sente com eles na areia!

Nesta edição as sessões de lá serão em dois horários: 20h30 e 22h30, por isso é importante levar o casaquinho!

5 – PRESTIGIE O TALENTO GOSTOSENSE

reunião mostra
Coletivo Nós do Audiovisual produziu cerca de 10 filmes ao longo das 4 edições

Um dos detalhes mais importantes da Mostra é o privilégio de ver os filmes gostosenses que são produzidos pelo coletivo Nós do Audiovisual, desenvolvido pelo projeto gerador do festival, com coordenação da HECO Produções.

Serão 3 filmes do coletivo, mais uma obra do cineasta Matheus Sundfeld que tem como plano de fundo a cidade de São Miguel do Gostoso e conta com atores locais. Vai ser demais!

Nós estaremos de olho em absolutamente tudo da Mostra de Cinema de Gostoso. Continue nos acompanhando!!

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES DA 4ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO

Obras poderão ser inscritas até o dia 22 de agosto pelo site do evento.

POR AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

4-mostra-de-cinema-de-gostoso

A organização da 4ª Mostra de Cinema de Gostoso anunciou nesta última quarta-feira (02) que as inscrições dos filmes longas e curtas metragem estão abertas e vão até o dia 22 de agosto.

Todo o procedimento deve ser realizado mediante preenchimento de ficha no site do evento, o anúncio dos selecionados apesar de ainda não ter data confirmada deverá acontecer em meados de outubro. A curadoria será realizada por produtores da HECO Produções e pelos alunos das oficinas de audiovisual.

No ano passado a  Mostra de Cinema de Gostoso não foi realizada devido a falta de patrocínio, porém o número de inscrito já havia batido o recorde: 704 filmes de todos os estados do país. Em 2017, o evento já conta com o apoio do BNDES, mas de acordo com o coordenador geral, Eugênio Puppo, a realização desta edição ainda não está totalmente garantida, porém já ganhou data e será de 17 à 21 de novembro.

Nós continuamos de olho (e com dedos cruzados) na Mostra de Cinema de Gostoso!

APESAR DE CAMPANHA, HECO PRODUÇÕES E CDHEC ANUNCIAM CANCELAMENTO DA MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO

Em nota oficial empresa diz motivos do cancelamento e avisa que o projeto não acabou e sim dará um tempo para retornar em 2017.

POR AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

2a Mostra de Cinema Gostoso
Idealizadores da Mostra de Cinema de Gostoso, Matheus Sundfeld e Eugênio Puppo. (Foto: Aline Arruda)

Foram dias de expectativa e apreensão para o município de São Miguel do Gostoso, mas o inevitável aconteceu: a quarta edição da Mostra de Cinema de Gostoso foi oficialmente cancelada.

O anúncio foi por meio de nota à imprensa nesta tarde de segunda-feira (14). A HECO Produções e o Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC) ainda lutaram bravamente, mas não conseguiram contornar os custos financeiros que o evento precisava para acontecer.

Contudo, os alunos do curso técnico de formação audiovisual se mobilizaram em campanha nas redes sociais, inclusive, sendo destaque aqui no Contador, tentando buscar patrocinadores para viabilizar a Mostra, mas não deu.

Confira a nota oficial na íntegra:

“É com muito pesar que a Heco Produções e o Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), vêm comunicar que a quarta edição da Mostra de Cinema de Gostoso prevista para ocorrer entre 18 e 22 de novembro de 2016 em São Miguel do Gostoso (RN), foi cancelada.

Nas últimas semanas nossa equipe esteve empenhada na organização da mostra, a programação dos filmes já estava definida, os jovens dos Cursos de Formação Técnica e Audiovisual de São Miguel do Gostoso já haviam participado de cinco oficinas e filmado um curta-metragem, que seria exibido na sessão de abertura da mostra. Muitas pessoas já estavam envolvidas e contratadas para a realização do projeto, porém, tivemos uma negativa de um importante patrocinador que acreditávamos que iria se concretizar.

Ciente desta situação, nos mobilizamos junto ao grupo de alunos de São Miguel do Gostoso, o Coletivo Nós do Audiovisual, em buscar um novo patrocínio com o apoio da comunidade gostosense, que sempre prestigiou este importante projeto sociocultural para a região. Infelizmente o mesmo não se viabilizou, o que não nos deixou outra alternativa a não ser cancelar a mostra deste ano.

O principal objetivo desse projeto é a capacitação profissional de jovens entre 15 e 22 anos, a maioria residentes em distritos e assentamentos da região, que ao longo do ano participam de uma série de cursos, realizam filmes e organizam a mostra de cinema como resultado de todo o conhecimento adquirido nessas oficinas.  Outro pilar deste projeto é a formação de público em uma cidade que não conta com sala de cinema e que dispõe de um circuito de salas de exibição em Natal restrito a filmes estrangeiros e a poucos filmes brasileiros.

Durante esses quatro anos (2013-16) enfrentamos diversas dificuldades para viabilizar o projeto, contudo realizamos 32 oficinas, 8 curtas-metragens e três edições da mostra de cinema, que recebeu mais de 30 mil pessoas no total, vindas do interior e da capital do estado do Rio Grande do Norte e de diversos estados do país.  

Este cancelamento que ora comunicamos não se trata do fim do projeto. 

Agradecemos imensamente a todos que apoiam esta iniciativa e estamos convictos que em 2017 o cinema retornará a São Miguel do Gostoso”.

O Contador está desolado com a notícia, mas espera que essas pedras sirvam de motivação para que o projeto continue vivo. São Miguel do Gostoso precisa disso!

Até qualquer hora!