A “COISA” TÁ MELHORANDO

#DebateNaMostra: Segundo dia de debates tem um tema específico, gera discussão e coloca espectadores no verdadeiro mundo por trás das telonas. Otimismo pelo cinema nordestino também foi ressaltado.

Mesa do debate está repleta de grandes nomes do cinema. (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Mesa do debate está repleta de grandes nomes do cinema. (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

O segundo dia de debates na Mostra de Cinema de Gostoso possuiu um tema definido neste sábado, 15, onde autores, diretores e produtores puderam discutir as diretrizes do cinema nacional com ênfase no nordeste.

“A Produção Audiovisual no Nordeste” foi o título da roda de conversas entre público e cineastas, porém antes disso foi aberto o evento com Júlio Cavani, diretor do curta “História Natural”, e com o pessoal do Coletivo Caboré de onde surgiu o “Abraço de Maré” dirigido pelo Victor Ciríaco.

E a partir daí vários temas vieram à tona junto com o acréscimo dos diretores Anderson Legal (“Quebramar”), Kennel Rógis (“Sophia”), além do Fábio de Silva, diretor do curso de cinema da UNP. Uma mistura nordestina de Pernambuco, Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Ficou visível que o que tira mais o sono dos cineastas brasileiros é o incentivo comercial, que no Brasil são poucos. Destaca-se com algumas ressalvas a Lei Câmara Cascudo que apoia e financia os projetos culturais em variadas áreas.

Debate no  Centro de Cultura (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Debate no Centro de Cultura (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

Voltando aos filmes, a realidade é que o nordeste evoluiu na Mostra de Cinema de Gostoso. Tirando as obras infantis, os maiores fornecedores para esta edição são nordestinos (19 obras) sendo nove do RN. Esse aspecto otimista de evolução também foi passado no debate o que deixa a todos esperançosos para o futuro próximo.

Esperamos que essa evolução do cinema nordestino continue, se propague e se difunda em festivais como a nossa Mostra de Cinema de Gostoso.

E você fique ligado no Contador de Causos. Até qualquer hora!

Anúncios

PENSANDO FORA DA CAIXINHA

SEGUNDO DIA: Mostra de Cinema é marcada no segundo dia por filmes que fogem do “padrão” na Mostra Competitiva e um polêmico filme de temas fortes na Mostra Panorama.

Julio Cavani comentou sobre a sua obra "Históri Natural" (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Julio Cavani comentou sobre a sua obra “Históri Natural” (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

O segundo dia da Mostra de Cinema de Gostoso, nessa sexta-feira, 15, foi marcado por filmes que o público não é acostumado a ver. São linguagens novas desenvolvidas pelos cineastas das obras que causam até estranhamento em alguns espectadores, por isso a frase “não entendi quase nada” foi frequente, o que não quer dizer que alguns não caíssem no gosto do pessoal.

Começando pela Mostra Panorama, o grande destaque foi o filme “Praia do Futuro” que mostrou a relação de dois homens após um acidente que envolvia um destes. O filme tinha cenas fortes e chamou atenção pela história que envolvia não apenas homossexualismo, mas também o abandono familiar. Emocionou algumas pessoas inclusive.

A noite, na Praia do Maceió, o documentário “Dominguinhos” foi uma das belas surpresas da noite. A história do cantor mostrada em forma de música de alto nível e narrada por ele próprio foi de uma delicadeza e de experiências sensoriais.

“História Natural” foi um curta que não tinha palavras, apenas som. “Abraço de Maré” foi mais um curta, a obra potiguar contou a história de uma família ribeirinha que vive em uma casa de taipa as margens do Rio Potengi.

O longa “Rio Cigano” foi uma ficção que contava a história de duas meninas ciganas separadas na infância e prendeu os espectadores na gigantesca tela da praia. Para finalizar, o esperado “Sem Pena” do coordenador da Mostra, Eugênio Puppo, mostrou com muita clareza a realidade carcerária do país, provocando reflexões em quem assistiu.

O único detalhe negativo foi que o atraso na exibição na praia, influenciou na presença do público na última sessão que acabou se prolongando até a madrugada.

O Contador de Causos estará de olho na Mostra de Cinema e conta tudo para você, até à próxima!

DEMOROU UM POUQUINHO

#DebateNaMostra: Primeiro debate com autores na Mostra de Cinema revela que a pressa não foi importante na formação do filme “A Luneta do Tempo” que durou 10 anos para ser filmado e finalizado.

Tuinho Schwartz falou sobre a produção do filme "A Luneta do Tempo"
Tuinho Schwartz falou sobre a produção do filme “A Luneta do Tempo”

Na manhã desta sexta-feira, 14, aconteceu o primeiro debate com autores dos filmes da Mostra de Cinema do Gostoso no novo Centro de Cultura e o primeiro convidado foi o produtor do longa-metragem “A Luneta do Tempo”, Tuinho Schwartz.

O Contador de Causos foi conferir e diz para você o que aconteceu de mais interessante. Primeiramente, Tuinho afirmou que o filme está sendo apresentado pela primeira vez na Região Nordeste, sendo Gostoso a quarta mostra ao qual “A Luneta do Tempo” participa.

Debate com Tuinho Schwartz começou os trabalhos na Mostra.
Debate com Tuinho Schwartz começou os trabalhos na Mostra.

Ainda questionado pelo vasto e rico acervo musical do filme, ele afirmou: “O filme tem umas 57 músicas, todas interpretadas por Alceu (Valença) e tudo foi moldado por ele.” O cantor fez seu primeiro filme, logo no sertão pernambucano com grande elenco, inclusive tendo a participação da potiguar Krhystal. Alceu a conheceu quando ela participou do especial “Som Brasil” que o homenageava.

Tuinho ainda revelou que a ideia do filme nasceu depois da morte do pai de Alceu Valença, onde o cantor resolveu voltar ao passado e resgatou temas da sua infância que era exatamente o nordeste e o cangaço.

Lembrando também que o filme só estreará em abril de 2015, ele ficou pronto em agosto para ser obra exclusiva no Festival de Gramado, acabou sendo chamado para Rio, São Paulo, atracou aqui em Gostoso e depois parte para Mar Del Plata.

O Contador de Causos tá de olho na Mostra de Cinema e te coloca dentro de tudo!

TUDO CERTINHO

PRIMEIRO DIA: Expectativas da estreia da Mostra de Cinema foram superadas e mais uma vez filmes da “casa” fizeram sucesso.

DSC_0704
Público Compareceu as areias da Praia do Maceió (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

Foi um dia de grandes emoções nesta quinta-feira, 13, afinal foi dado o pontapé para uma maratona de seis dias e 62 filmes da Mostra de Cinema do Gostoso. Como a primeira impressão é a que fica, os organizadores do evento foram então categóricos nesse ponto, o telão foi maior do que no ano passado e o tablado que suporta o público nas areias também cresceu.

Gostoso mais uma vez foi o destaque do estado com direito a link ao vivo para emissoras de TV e grande público, cerca de 1500 pessoas (número estimado) foram as areias da praia do Maceió que é o principal palco da Mostra.

Eugênio Puppo e Mateus Sundfeld na Cerimônia de Abertura (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Eugênio Puppo e Mateus Sundfeld na Cerimônia de Abertura (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

Mais voltando a cerimônia, toda espera de pouco mais de uma hora valeu a pena, os anfitriões eram o cineasta Eugênio Puppo e seu fiel escudeiro Matheus Sundfeld, junto com eles vimos um aperitivo dos filmes selecionados e ainda certificaram os alunos do curso audiovisual que mostrariam os frutos da jornada de estudos naquela noite.

“De fato o que nos move a fazer tudo isso aqui são esses alunos”, disse Puppo ao anunciar os alunos para receberem seus certificados.

A sessão então teve início com os filmes de Gostoso, ambos curtas-metragens, primeiro foi o “Entre Lonas”, uma comédia que contou de forma leve o polêmico assunto do trabalho infantil, tão comum no nordeste, na sequência o documentário “Promessas” que tratava do Marco da Praia dos Marcos, fonte de grande religiosidade que foi deslocado para Natal nos anos 70 causando impactos culturais. Claro que foram ovacionados pelo público presente.

Para fechar a noite o longa-metragem que abriu os trabalhos da Mostra Competitiva. Coube “A Luneta do Tempo”, do estreante cineasta e renomado cantor, Alceu Valença mostrar como se faz um faroeste brasileiro ser amado pela crítica. O filme se passa no nordeste remetendo a história de Lampião e possui uma elogiável trilha musical que apenas define e assina em baixo um forte candidato de ganhar o Prêmio Câmara Cascudo, dado aos mais votados nessa Mostra.

Alunos do Audiovisual (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Alunos do Audiovisual (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Produtores apresentando os filmes da noite (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Produtores apresentando os filmes da noite (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

Mais é só o começo, a Mostra de Cinema de Gostoso ainda nos reserva muitas emoções! Confira tudo aqui no Contador de Causos, até a próxima!

EDUCAÇÃO E CULTURA SÃO PRINCIPAIS ASSUNTOS DA CÂMARA DE VEREADORES NA SESSÃO DESTE INÍCIO DE SEMANA

Nesta segunda-feira, 10, aconteceu a 28º Sessão da Câmara dos Vereadores de São Miguel do Gostoso e em meio a tantos questionamentos que surgem na gestão municipal os oito vereadores presentes (já que a Irmã Letinha estava doente e não compareceu) tiveram como principal assunto na pauta a educação e a cultura.

Não dá para dizer que a sessão foi absolutamente calma, isso porque em vários momentos houveram alguns conflitos de opiniões entre os membros da casa.

Os anúncios sobre cultura foram variados, começando pela inauguração do novíssimo Centro de Cultura ocorrido na última sexta-feira, 07, que ainda precisa definir o seu regimento interno, mas já tem um coordenador que é um dos componentes do CDHEC, Alessandro Amaral.

Também foi feito o convite para a segunda Mostra de Cinema de Gostoso que começa nesta quinta-feira, 13, e contará com a presença de um ator global, de nome não divulgado ainda. Você já sabe que o Contador de Causos fará a cobertura total.

Além disso outro grande evento está sendo esperado que será uma das etapas do Circuito Nacional de Beach Handebol, nos dias 28 e 29 de novembro.

Sobre a educação o grande questionamento foi o adiantamento do calendário escolar que não cumpre os 200 dias letivos exigidos por lei e a remuneração do 13º salário. Ano passado os “contratados” não receberam esta parcela, lembrando que essa bonificação é garantida por lei, e tudo estava se encaminhando para o repeteco em 2014, porém o requerimento proposto por Micarla Catarina foi aceito e fere justamente esses pontos já citados.

O Contador de Causos está de olho na gestão municipal e deixa você, caro leitor, bem informado. Até a próxima.

TÁ CHEGANDO A HORA: MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO JÁ EM CONTAGEM REGRESSIVA PARA INÍCIO DO EVENTO

Documentário Sem Pena de Eugenio Puppo será uma das atrações (Foto: Guilherme Freitas)
Documentário Sem Pena de Eugenio Puppo será uma das atrações (Foto: Guilherme Freitas)

Você já sabe que dos dias 13 a 18 de novembro, São Miguel do Gostoso irá “respirar” cinema com a chegada da segunda edição da Mostra de Cinema. O Contador de Causos faz uma pincelada e fala um pouco dos filmes que vão participar da mostra competitiva.

Serão 13 longas metragens e 10 curtas, onde 19 destas obras foram lançadas em 2014, ou seja, estão “quentinhos do forno”.

Começando pelo filme “A Luneta do Tempo” do cantor Alceu Valença que se aventurou pela primeira vez no cinema, ganhou vários elogios da crítica por ser o primeiro filme faroeste brasileiro que deu certo. Já o filme “Branco sai, Preto Fica” ganhou nada mais que 11 prêmios no festival de Brasília 2014 e retrata dois homens que foram feridos em um baile black music na periferia da capital federal.

O misterioso “Deserto Azul” é um longa gravado em Brasília e no deserto do Atacama no Chile. Tem o documentário “Dominguinhos” que retrata a vida do cantor de forma simples e com muita música. O curioso “Ela Volta Na Quinta” conta a história do próprio autor com a família dele. O retrato dos anos 70 está no “O Último Cine Drive-In” que conta a história do Drive-In de Brasília, um dos últimos do país.

Mais duas obras que já foram premiadas em outros festivais é o “A História da Eternidade” que recebeu o título de Melhor Longa no festival de Vitória 2014, sendo o filme com maior duração da Mostra com 120 minutos. “A Revolução do Ano” ganhou prêmios no festival do Rio e retrata a Primavera Árabe, inclusive já foi anunciado que este filme encerrará a Mostra Competitiva.

Finalizando o convite da Mostra Competitiva tem as obras dos alunos do curso de audiovisual intitulados “Entre Lonas” e “Promessas” além da obra do “pai” da Mostra, Eugenio Puppo, com o seu documentário “Sem Pena”, muito elogiado na capital paulista.

Ingredientes não faltam e você vai ficar por dentro de tudo, aqui no Contador de Causos. Até lá!

NOVIDADES DA 2ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO MOSTRAM UM EVENTO MAIS “NORDESTINO” EM 2014

Primeira edição da Mostra foi um sucesso.
Primeira edição da Mostra foi um sucesso.

A segunda edição da Mostra de Cinema de Gostoso que acontecerá de 13 a 18 de novembro, já teve a divulgação de 45 obras onde você já deve ter visto aqui no Contador de Causos.

Ainda sem a divulgação das 15 obras infantis, os dados já mostram grandes avanços e curiosidades na edição de 2014. O primeiro detalhe é o ranking de filmes por estado, em ambas edições os paulistas foram o maior fornecedor de filmes. Em 2014 são 15 obras.

Nesta edição teremos também o primeiro filme da região Norte, o paraense “A Menina e o Boto” do Paulo Roque quebra este tabu e se consagra com esse posto.

O RN também tem destaque sendo o segundo maior fornecedor de obras em 2014 com nove filmes, incluindo as duas produções dos alunos do curso de audiovisual de São Miguel do Gostoso. O nordeste em si “cresceu”, no comparativo com 2013 onde ficou atrás do sudeste com apenas 12 filmes na Mostra, neste ano o número saltou para 18.

Mais dados interessantes é o dos autores “veteranos” que estiveram nas duas edições da Mostra de Cinema de Gostoso, são eles Rodrigo Sena, Rodrigo Aragão, Gustavo Vinagre, Diogo Faggiano, Anderson Legal e a Juliana Vicente.

O grande palco do evento, a Praia do Maceió, foi privilegiado em 2014. Serão 24 filmes exibidos lá, 19 destes da sessão competitiva (oito longas e 11 curtas-metragens) além das cinco sessões especiais que contará com o filme “Sem Pena” dirigido por um dos organizadores do evento, Eugenio Puppo.

Esse é o pontapé da maior cobertura local do evento que promete agitar São Miguel do Gostoso em 2014. Fique conosco no Contador de Causos, até lá!

O canal onde os escritores de São Miguel do Gostoso tem vez e voz.