Todos os posts de Valmiro "Zuno" Ribeiro

Graduando em Ciência da Computação. Sommelier de coxinha e apreciador da cultura pop.

TESTEMUNHEM #01 – MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA

Em um ano cheio de antigas franquias cinematográficas sendo repaginadas, Mad Max: Estrada da Fúria não só se sobressai, mas também fica marcado como exemplo a ser seguido pelos filmes de ação.

POR VALMIRO “ZUNO” RIBEIRO
NATAL/RN

mad-max-fury-road-2

Mais uma vez dirigido por George Miller, Mad Max: Estrada da Fúria retorna ao mundo pós-apocalíptico estabelecido na trilogia dos anos 80, dessa vez com Tom Hardy (o Bane, de “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge) interpretando Max, assumindo o papel que antes pertencia a Mel Gibson (Coração Valente).

mad_max

Estrada da Fúria conta a história de Max, inicialmente vagando por um mundo desértico, e Furiosa (Charlize Theron), que acredita que ao voltar para a sua terra natal pode encontrar um lugar melhor para sobreviver. O principal tema do filme é a busca por um lugar para viver, e não mais sobreviver. O filme possui um ritmo frenético, pois em quase todas as cenas os personagens principais estão dentro de veículos de alta velocidade, tendo que lidar com inimigos e obstáculos durante a sua jornada.

O que mais chama a atenção em Mad Max é a falta de efeitos especiais feitos com computação gráfica, sua fotografia e a sua edição. As cenas com os veículos foram gravadas de verdade, e todas as explosões também aconteceram de verdade, sem o auxílio de efeitos computadorizados. O visual rústico dos carros, objetos e roupas dos personagens se mesclam com o visual do ambiente desértico, tornando tudo mais crível no mundo fictício do filme. Finalmente, a edição do filme faz o espectador ficar apreensivo e vibrar a cada cena, graças aos bons takes de câmera e a ótima integração da trilha sonora.

CRIANÇAS DOS DISTRITOS FICAM SEM LEITE POR NEGLIGÊNCIA DA PREFEITURA

Falta de articulação dos transportes foi o motivo que deixou dezenas de crianças sem leite nesta quinta-feira (08).

POR AILTON RODRIGUES

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO.

Um caso bastante delicado foi destaque nesta quinta-feira (08) em São Miguel do Gostoso. O Programa do Leite, que é uma grande marca na assistência à nutrição infantil para crianças de 0 a 5 anos, não foi distribuído nos distritos do município nesta manhã.

O motivo foi que a prefeitura não articulou os transportes que fazem a distribuição. Todas as quintas os carros têm a função de levarem as centenas de litros de leite da sede às comunidades rurais para que cada família cadastrada receba de três a quatro pacotes. A iniciativa que já vem de longa data ajuda aos mais carentes que não tem condições de pagar pelo leite. E todas as mães sabem o quanto é importante o incremento deste componente no desenvolvimento das crianças.

leite

Mas a distribuição aconteceu na sede, as mães de lá receberam 10 pacotes para que não se estragasse o excedente que seria enviado aos distritos.

Uma das mães prejudicadas por esse descaso é a dona Irene Rodrigues do Antônio Conselheiro. Ela tem duas crianças em casa, uma de quatro anos e outra de apenas 11 meses, e conta com o programa para dar esse suporte na alimentação. Ela declarou: “Acho isso uma falta de respeito com a população, faltar transporte para entregar um alimento básico na alimentação das crianças é um absurdo”.

Para Akira Jussiara, uma das servidoras, “Foi necessária a distribuição apenas na sede, pois a EMATER tem feito esse trabalho sem freezer nos municípios. Essa distribuição para os distritos tem que ser rápida, a secretaria não teve tempo hábil para articular um transporte. Aumentaremos na próxima semana o número de pacotes nos distritos”.

Já para o secretário de habitação e assistência social, Francisco dos Anjos: “Estamos passando por alguns problemas administrativos e com a empresa que entrega o leite, problemas estes que estamos tentando solucionar, por exemplo: não tem um horário fixo de chegada, não vem a quantidade certa e muitos pacotes chegam furados, como ontem (quinta), vieram 200 pacotes furados!

A responsável pelo leite é a EMATER, por motivo de recursos humanos e para as famílias não serem prejudicadas, assumimos a entrega. Todos os beneficiários das comunidades que não receberam já estamos providenciando para o leite dessa semana seja restituído a essas famílias”.

O Contador de Causos está de olho nesses casos e espera que se resolva, mas lembrando que você tem vez e voz para comentar, basta se identificar abaixo. Até a próxima!