Todos os posts de Airis Vital

Fascinada por expressões culturais, filmes e livros de todos os tipos, simplesmente ama absorver conhecimento. Cursa Tecnologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Feral do Rio Grande do Norte – UFRN; Técnica em Cooperativismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN; Membro da ONG, Coletivo de Direitos Humanos Ecologia, Cultura e Cidadania – CDHEC; e Sócia da empresa "Entretenimento Cultural Café com Leite" pela Incubadora Tecnológica Energia e negócios - ITEN do IFRN campus João Câmara.

O CONTADOR LEU: A HARMONIA DO MUNDO, de Marcelo Gleiser

por AÍRIS VITAL

Li meu primeiro livro cientifico, legal né?! O mais interessante é que sempre tive uma paixão fanática por constelações e a imensidão do céu em toda sua extensão, inspirado pelo Grande Criador. A edição deste livro trouxe-me muita dificuldade na leitura, por possuir diálogos em meio a aspas e não travessões, ou seja, o narrador descreve tudo até mesmo os diálogos recorrentes. Mesmo assim é indescritível, tele transportar para obra de Gleiser, que despertou e ensinou a buscar esse tipo de literatura.

A-Harmonia-do-Mundo-Destaque-1-940x705

O grande desafio do protagonista deste livro é ter vivido em uma época onde não havia distinção entre astronomia (ciência que trata do universo sideral e dos corpos celestes) e astrologia (doutrina, estudo, cujo objetivo é decifrar a influência dos astros no curso dos acontecimentos terrestres e na vida das pessoas). Ele inventou uma versão melhorada do telescópio refrator (telescópio de Kepler) e ajudou legitimar as descobertas telescópicas de seu contemporâneo Galileu Galilei. E outras obras literárias que forneceram bases para teoria da gravitação universal de Isaac Newton.

Kepler é um estudante pobre de teologia e matemática, que ganha respeito pelo seu trabalho e reconhece todo o seu sucesso ao mentor, pela qual guarda muita gratidão. Sua história é retratada através de pesquisa de documentos e manuscritos originais, do seu mestre Machael Maestlin que apesar de manterem mutualmente uma relação de admiração e gratidão, passa a ser atormentado pelas lembranças do pupilo que o superou, em conhecimento cientifico e coragem pessoal.

A narrativa do livro é contextualizada a partir dos dias de Mastlin que se tornaram cinza e sem propósito, com dificuldades até de manter um diálogo com seu único filho (Ludwig), que sempre se finaliza em discursão. Mesmo este sendo um nomeado médico, sente-se rejeitado, mantém ciúmes e ressentimento do pai desde a infância, devido o pupilo Kepler. Que mesmo estando ausente, sempre sentiu que tomava o (seu) lugar no coração do pai.

Ludwig tem um filho chamado Christian, o único que se importa com os interesses profissionais do avô e desta forma começa a se aproximar dele ao atender o seu pedido para lê o diário com anotações das descobertas da vida Kepler. Este é entregue pelo filho de Kepler, e seu aprendizado sobre a astronomia e a trajetória sentimental e profissional do avô, só evolui.

Um romance transcrito através de grandes descobertas cientificas e de enorme sacrifício e tragédia pessoal, descreve um retrato humano da relação de mestre e aluno caracterizada a um só tempo pela disputa e pelo orgulho ferido, como diz a própria descrição do livro. E assim, termino com a oração do grande protagonista Kepler:

“Que a unidade revelada nestas páginas, expressão da perfeição divina, ilumine o espirito enfraquecido dos homens, alimentando o amor ao próximo e restaurando a paz entre todos os credos. Que a harmonia que rege o mundo conforte nossos corações e desperte os homens para uma nova era, baseada na liberdade e no respeito a vida.”

O contador, Indica! Boa Leitura.

😉

 

Livro: A Harmonia do Mundo Editora: Companhia das Letras, SCHWARCZ  LTDA Ano de Publicação: 2006 Edição: 1ª Edição ISBN: 85-359-0889-7 Páginas: 327.

 

Anúncios

O CONTADOR LEU: O HOBBIT, de J.R.R.Tolkien

por AÍRIS VITAL

O primeiro detalhe desta leitura é que se trata de uma obra de 1937. Em seguida foi flechada pela citação “o mundo está dividido entre aqueles que já leram O Hobbit e O Senhor dos Anéis e aqueles que ainda não leram”, dito pelo jornal britânico de circulação nacional – The Sunday Times. Sem descrever aqui sobre os admiradores dessa consagrada obra de Tolkien que descrevia como se trata de uma obra altamente elaborada e comovente.

Então aqui estou depois de a.s.s.i.s.t.ir os três filmes do O Senhor dos Anéis e l.ê o O Hobbit, confesso que estou encantada pelo seguimento narrativo é uma viajem ao início de um universo inimaginável, sem esse facilitador incrível, o escritor. Ele tem o dom de fazer você se sentir ao lado dele em quanto ele conta a história… Imagine, eu com 20 e tarará me sentindo uma pirralha ansiosa ao longo de 25 dias, querendo ouvir o fim da jornada de um personagem que “pode ter existido”…

O Hobbit 01

Seguindo em uma aventura… é assim, é  a.s.s.i.m, que ele faz o leitor se sentir… E aí, você já está em meio a uma pequena vila onde a paz reina e possui seres que apreciam acima de tudo o conforto e  alegria da vida, depois em meio a combates numa floresta sombria, explorando o desconhecido, descobrindo forças e habilidades que nunca antes foram sentidas, descobrindo o valor do lar e de ter amigos ao longo da jornada, identificando a importância de ter seus princípios bem definidos e apreciar a habilidade de se reinventar ao longo dos desafios e escolhas.

Bilbo Bolseiro é um hobbit que é perturbado pelo mago, Gandalf e uma companhia de anões, com o propósito de roubar um tesouro guardado por um perigoso dragão, conhecido como Smaug o Magnifico. Ah… como estou animada para decorar e recitar ao longo dos meus dias, alguns fragmentos dessa história, eu vou compartilhar com vocês, mas desde já aviso: Se continuar terá spoillers. E então?! A responsabilidade sua, J .

“- Bom dia! – disse Bilbo, sinceramente. O sol brilhava, e a grama estava muito verde. Mas Gandalf lançou-lhe um olhar por baixo de suas longas e espesas sobrancelhas, que se projetavam da sombra da aba do chapéu.

– O que você quer dizer com isso? – perguntou ele –  Está me desejando um bom dia, ou quer dizer que o dia está bom, não importa que eu queira ou não, ou quer dizer que você se sente bem neste dia, ou que este é um dia para estar bem?” – Pagina 4

 

“- Boa viagem! – gritaram elas – por onde quer que viajem antes que seus ninhos os recebam no fim do caminho! – É uma coisa educada para se dizer entre as águias.

– Que o vento sob suas asas possa leva-las para onde o sol navega e a lua caminha – respondeu Gandalf, que sabia a resposta correta.” – Pagina 112

 

O contador, Indica! Boa Leitura.

Livro: O HOBBIT Titulo Original: THE HOBBIT Editora: WMF Martins Fontes Ano de Publicação: 2013 Edição: 8ª Edição ISBN: 978-85-7827-731-4 Páginas: 296.

PRIMEIRO ATO DO AUTO DE SÃO MIGUEL

O domingo em São Miguel do Gostoso teve programação cultural com a Iª Mostra de Teatro.

POR AÍRIS VITAL
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

A Paróquia de São Miguel Arcanjo, Espaço TEAR (CDHEC) e a Trupe Café com Leite, realizaram neste domingo (2), a primeira amostra de Teatro no Centro de Múltiplo Uso que vem sendo desenvolvida desde de maio, deste ano. As oficinas foram ministradas por Irielly Leticia (estudante de teatro pelo UFRN) e Mariana Botelho (Profissional em Teatro) que desenvolveram através de jogos teatrais, o I modulo do projeto, vendo: noções de alongamento, aquecimento, preparação vocal, expressão corporal, texto, técnicas de memorização, improviso, etc.

19577511_10203215855954862_2101137950205287061_o
Alunos e arte educadores do Projeto Auto de São Miguel Arcanjo (Foto: Ariclenes Silva)

Esta é a primeira de três amostras que visa apresentar a comunidade e pais dos integrantes, a evolução das crianças, jovens e adultos que fazem parte do projeto Auto de São Miguel Arcanjo: O grito fiel de Miguel. O objetivo deste trabalho é desenvolver a semente de protagonismo, revelando atores sociais que possam continuar a desenvolver ações como estas e por fim promover a identificação com a história do padroeiro da cidade.

19620334_10203215888835684_6081227385398537367_o
Pais, alunos e arte educadores do Projeto Auto de São Miguel Arcanjo (Foto: Ariclenes Silva)

Você pode quer ajudar essa ação. Colabore clicando aqui

O CONTADOR LEU: O DIARIO DE ANNE FRANK de Mirella Spinelli

por AIRIS VITAL

Desde de moleca ouvia através de algumas fontes históricas educacionais, sobre duas personalidades femininas infanto-juvenis que me encantava, Malala e Anne Frank. Para mim são as meninas mais inspiradoras, pois buscava ser a diferença que precisava no mundo delas. Hoje vou falar minhas emoções sobre Anne.

Confesso que sou um tipo de ‘serzinho’ que não cresceu na cultura de comprar livro, mais que ama tê-los por perto, (risos). Então depois de saber que Anne tinha escrito um diário, passei a procurar em cada biblioteca, varria cada estante e a única em que encontrei, não pode levar para casa. Me contentei, apenas com o filme, de Alberto Negrin, mas para uma amante da leitura, nada a emociona mais do que lê as anotações de quem você admira.

O fato é, que fui surpreendida por Iaslan Nascimento, quando trouxe até mim a história dela em um livro em quadrinhos. Como eu não tinha pensado antes?! Certo que é uma história muito pesada, mais posso conta-la de uma maneira mais acessível, e como diz o portador do Museu Anne Frank “nem todo mundo vai ler o diário. Um formato não exclui o outro”.

Nossa que garota cheia de autonomia com apenas 13 anos de idade, tão admiradora dos livros, observadora, proativa, corajosa, apaixonada pela vida, e preocupada em anotar uma série de fatos que tenha importância para os leitores. Uma das coisas mais surpreendentes é como ela transforma seu diário em uma amiga, nomeando-o de Kitty. Isso demostra o quanto era dotada de criatividade, imagino a grande escritora que ela seria se não tivesse morrido aos 15 anos de idade, mesmo com pouco conhecimento já possuía uma base única de conhecimento.

anne_mirella4-747x1024

Ressaltando em suas anotações sobre conquistas, amizades, sonhos, desafios familiares, ciúme, medo e tantos outras questões que nos afligem ao longo do nosso desenvolvimento humano. Que muitas vezes nem somos capazes de externar, ela transmitir com tanta facilidade que acaba sendo inspirador você manter sua personalidade, nem que seja no papel para que não se perca ao longo dos anos e alguém ao encontrar, não venha se sentir sozinho por reprimir determinado comportamento incomum no meio social. Isso é o que senti ao lê suas impressões sobre sua realidade.

Esta HQ sem dúvida é um livro que estimula o conhecimento dessa surpreendente judia e o seu relato simbólico durante a perseguição que os nazistas causaram na Segunda Guerra Mundial e sua barbárie no campo de concentração. Ao refletir sobre o vi (filme) e li (HQ) tive uma perspectiva de fatores secundários, focados em análises “bem-humoradas e inteligentes”, durante a luta da sobrevivência diária de sua família e amigos.

Inclusive para quem gosta de leituras rápidas, leve, de traços que emerge a uma dualidade entre a época e a atualidade, ele  transmiti a peculiaridade em seu texto que apresenta a complexidade da guerra, mas também da natureza humana que ‘amadurece’ em meio a anseios e conflitos sociais. Mantendo a confiança na humanidade, mesmo quando se vive em um ambiente de terrorismo e medo, mantem-se uma esperança no sublime.

O contador, Indica! 😉

Livro: O DIÁRIO DE ANNE FRANK em quadrinho Texto Original: Het Achterhuis Dagboekbrieven 12 Juni 1942 – 1 Augustus 1944.  Editora: nemo. Ano de Publicação: 2017 Edição: 1ª Edição ISBN: 978-85-8286-336-7 Páginas: 96.

 

O CONTADOR LEU: SPECTRUS – Paralisia do Sono, de Thiago Spyked

por AIRIS VITAL

Fazia muito tempo que não ouvia sobre o tema ‘paralisia do sono’, tinha esquecido que existia. Depois de lê essa HQ eu fui pesquisar mais sobre o assunto, e as pesquisas mostram que 2 milhões de pessoas são afetadas por ano no Brasil, ou seja muitas pessoas lidam com a incapacidade temporária de se mover ou falar ao adormecer ou ao acordar.

O autor desta obra é Thiago Spyked que possui um canal no youtube, com mais de 135 mil inscritos, com várias conteúdos para quem quer ser desenhista, dicas e práticas de desenho, assim como outros temas voltados para essa área. Ele narra a experiência da jovem Lila de 19 anos que teve sua consciência, fragmentada em três partes e para isso ela deve buscar nos reinos: labirinto da razão, poço da insanidade, e a montanha da criatividade.

Ela é o tipo de personagem que eu facilmente me identifico, ou seja me senti mesmo na história. Com aparência delicada, demonstra muita coragem e personalidade, mesmo com medo do ambiente que se encontra, vê seu corpo em imóvel sobre a cama, toma a iniciativa de pegar de volta o que lhe pertence por direito, antes de voltar para seu corpo. E corajosamente diz:

“Posso está dormindo, mas isso não é um sonho”

Ao longo da sua jornada no universo desconhecido ela encontra dois ajudantes que logo, se tornam seus amigos. O Alpha (o invisível) é uma entidade da sombra, que possui a missão de orientar os humanos a sair da dimensão, já o Cabeça de Pano (o aliado misterioso) ele é um gênio absoluto das questões lógicas, e a ajuda dele foi indispensável.

Uma das frase que gerou mais questionamento para mim foi do senhor Gloor rei da criatividade:

IMG_20170419_072646898

[Chegada no reino da criatividade]

Sem dúvida é uma leitura para todas as idades, alertando sobre a capacidade que possuímos interiormente, mais cogitamos em usar. Sobre aprimorar nosso autoconhecimento, consciência crítica, entender nossos limites e fraquezas, assim como o poder da criatividade para buscar ferramentas para solucionar nossos problemas sem d.e.s.i.s.t.i.r. Além do destaque para confiança e amizade, torna-se papel de destaque em todo o enredo.

É uma leitura tão envolvente que ao término, você sente a necessidade do Thiago ter desenvolvido mais o ambiente dos desafios, pois quando você pensa que terá que folhear umas duas páginas para compreender o mistério, no diálogo seguinte -mais ou menos- você obtém a resposta que desejava.

Mais a compensação vem no extra da HQ. Ele conta detalhes sobre cada personagem e ambiente, deixando o leitor íntimo da sua obra e um desejo de “ debater com o autor sobre Spectrus”. Por fim é uma sugestão que você tirará fragmentos das lições para aplicar em sua vida.

Para saber mais sobre o trabalho de Spyked, acesse: https://www.youtube.com/user/CrasConversaOficial/featured

O contador INdica!

Título: Spectrus – Paralisia do Sono, Autor: Thiago Spyked, Editora:  Crás Editora, Edição: 1ª, ISBN: 978-85-68248-03-4, Especificações: 144 páginas.

O GRITO FIEL DE MIGUEL – AUTO DE SÃO MIGUEL ARCANJO

Com a direção do empreendimento Café com Leite e mais uma realização do espaço TEAR e a Paróquia de São Miguel do Arcanjo. Este ano os gostosenses, apreciarão a história do Arcanjo padroeiro da cidade e que da nome ao município.

 por AUXILIADORA RIBEIRO e AIRIS VITAL

     14556510_10202091437165095_8958368846339984323_o

     A Paixão de Cristo e o Auto de Natal já são eventos carimbados no calendário do município, este ano insere-se mais um, o Auto de São Miguel Arcanjo para ajudar abrilhantar a festa do padroeiro da cidade que ocorrerá no dia 29 e 30 de setembro, daqui exatamente a 5 meses. Estimasse a participação aproximada de 100 pessoas envolvidas, desde o processo de pré-produção até a pós-produção. A proposta do auto foi induzida pelo Pároco João Maria dos Anjos para a jovem Auxiliadora Ribeiro, que depois de lê os dois livros História do Mundo dos Anjos e São Miguel Arcanjo a Batalha Final, presente do próprio. Redigiu as primeiras versões do roteiro e desde então, vem junto a equipe do Café com Leite aprimorando um projeto de engajamento social, focando principalmente no público jovem.

      Pretende-se dá continuidade ao trabalho iniciado em 2007 pelo Pe. Fabio dos Santos, durante o processo de criação da paróquia, através de atividades sociais voltadas para a restauração da imagem de São Miguel Arcanjo (séculos XIX) – reconhecendo a imagem como patrimônio histórico cultural – trabalhando a memória e a identidade do lugar. Visando resgatar o legado histórico do lugar, o projeto quer identificar e formar novos atores sociais e protagonistas juvenis para que disseminem, inovem, movam a identidade histórica cultural do município de São Miguel do Gostoso e Região – Mato Grande. Efetivando direitos e prevenindo através da arte a inação de uma faixa-etária que carrega em si muita energia, e tal energia precisa ser canalizada em ações produtivas para si e para a comunidade.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e texto
Equipe Café com Leite: Auxiliadora Ribeiro, Rozangela Modesto e Airis Vital.da

“Este espetáculo não é um mero espetáculo, e sim um projeto de cunho sócio-artístico-cultural através da versão religiosa da identidade histórica deste município. Nada melhor como comemorar os 10 anos de parceria entre o CDHEC e a Paróquia de São Miguel Arcanjo, como o GRITO FIEL DE MIGUEL”, diz as diretoras.

     As inscrições são gratuitas, começa nesta terça-feira (02) na Secretária da Paróquia de São Miguel Arcanjo, que poderão ser realizadas no local da oficina – lembrando que essas serão limitadas. As oficinas serão realizadas nos sábados e domingos, a partir do dia 13 de maio nos turnos: matutino (09h) e vespertino (15h).

      Porém como todo trabalho envolve recurso, eles começaram uma campanha em uma plataforma colaborativa, você pode acessar para contribuir  https://www.catarse.me/auto_de_sao_miguel_arcanjo_78e4?ref=project_link. Lá você encontra diversos modos para ajudar no projeto, como forma de agradecimento eles darão brindes conforme a doação. Dentre eles têm botton, pôster, chaveiro, xicara e camisa, corre lá e contribua com mais um projeto de incentivo social. Além do mais, você poderá acompanhar todo o desenvolvimento do projeto na página do Facebook  https://www.facebook.com/autodesaomiguelarcanjo/ .

Fotos: Ariclenes Silva

O Contador acompanha tudo e conta para você!

O CONTADOR LEU: A DITADURA DA BELEZA e a evolução das mulheres, de Augusto Cury

por AIRIS VITAL

                Organizando meus livros me envolvi com a incisão do título ‘A DITADURA DA BELEZA’. Vindo de Cury só podia ser um daqueles conteúdos de alimentar minha identidade social, ainda mais tive um pouco de resistência, pois não se enquadrava tanto ao meu estado de espirito lê algo sobre ‘beleza’, tolamente pensei. Mas como se tratava de um empréstimo, resolvi folheá-lo e então os próximos quatro dias foram o suficiente para conhecer todo o romance.

A narrativa começa em um quadro muito delicado da jovem Sarah de 16 anos que tentou contra a própria vida e sua mãe Elizabeth, gerente editorial de uma revista feminina aos 42 e divorciada a três, busca o psiquiatra Marco Polo para salvar a filha. Já que ela não sabe mais qual estratégia usar para ajudar a filha. É quando ambas deparam com a síndrome PIB – Padrão Inatingível de Beleza, que não só tinha massacrado as duas, como era frequente e intensa na humanidade.

S.I.M. o convite é certo, que tal se apaixonar por si mesmo?!

Uma verdadeira revolução dentro de mim se instalou, até agora estou me questionando tanta coisa, inclusive feridas instaladas em mim… busco urgentemente uma visão multifocal do mundo por mais difícil que seja! Até por que a preocupação de Augusto Cury é exatamente se opor a ditadura massacrante que as mulheres vivem em silêncio, apresentando a realidade do século XXI de forma transparente e da melhor maneira possível. Inclusive de que é possível sim, contornar o quadro catastrófico da prisão que permitimos ficar.

Quantas vezes não somos rejeitadas pelo o tipo de cabelo, sorriso, nossas curvas, cor de pele, um padrão inatingível de beleza?! Desta forma somos excluídas e aceitamos com um aperto no coração e na existência, por não ter o perfil. E maltratamos a nós mesmo, ressaltando pouco nossas qualidades, transferindo toda atenção para nossos defeitos e muitas vezes isso é, um incentivo a criar um verdadeiro ‘horror’ dentro de nós e um momento outro, precisamos externar e isso tem consequências.

“Hitler queria ser um artista plástico e procurou a Escola de Belas-Artes de Berlim, mais foi rejeitado. Se o professor dessa escola tivesse acolhido, talvez o mundo tivesse tido mais um pintor medíocre, mas certamente não um dos maiores psicopatas da história”. – Página 137

Precisamos valorizar nossas qualidades e de quem nós amamos. A nossa beleza está além do nosso corpo está em nosso ser. Elogiar nossos pré-adolescentes/adolescente já é um passo, pois é nessa fase onde a estipulação de perfeição é maior.

Assim diz o personagem Falcão que tenta alertar executivos sobre essa a instalação dessa problemática. Para quem acompanha as obras singularidades de Cury, percebe as conexões entre elas e essa não é diferente, o personagem pertence o livro ‘O futuro da humanidade’, assim como Marco.

Uma das citações que mais me incentivou a conhecer a cultura e os problemas psicológicos da sociedade em relação ao padrão imposto de beleza em sua diversidade cultural, foi a colocação de uma das personagens, jornalista Chen:

“Estou preocupadíssima com a china. O câncer da ditadura da beleza esta atingindo frontalmente meu povo. Sempre valorizamos nosso passado e nossa características físicas, mas o inacreditável está ocorrendo. As mulheres chinesas estão rejeitando seus traços, querem ter a silhueta das atrizes de Hollywood e das modelos ocidentais. Elas querem ser “Barbies”. ” Página – 154

Então sim, indico esse livro para homens e mulheres, revendedoras de cosmético e roupas, consumidoras, a toda adolescente que queira se apaixonar por si mesma, o ser humano que queira ser livre dos padrões inatingíveis.  Até por que, nos agradecimentos Cury parabeniza algumas empresas que se levantaram quanto essa causa, entre elas está o grupo Unilever (marca Dove), Natura e Avon. A mensagem que para mim foi perfume para o ego, foi o relato de Marco Polo e com ela encerro minha opinião:

“Não há relatos na história de mulheres torturando homens, mas há inúmeros relatos de homens torturando mulheres. Não há relatos na história de mulheres controlando, silenciando, apedrejando, queimando e mutilando homens, mas há milhares de relatos de homens cometendo as maiores atrocidades contra as mulheres em quase todas as sociedades. Os homens é que são sexo frágil, pois só os fracos controlam e ferem os outros. A biografia masculina tem uma dadiva incalculável com as mulheres.

[…]

Queridas mulheres, vocês honraram muito mais a espécie humana do que os homens. Eles falharam historicamente em lidera-la. Se vocês dominassem o mundo, a humanidade seria mais feliz. Se vocês fossem generais, não haveria guerras, pois vocês não teriam coragem de enviar seus filhos para campos de batalhas. Mas o homem por muito pouco, os enviam”. – Página 204

O Contador indica!

Livro: A DITADURA DA BELEZA e a revolução das mulheres Editora: Sextante Ano de Publicação: 2005 Edição: 2ª Edição Registro no ISBN: 85-7542-198-0 Páginas: 208