O CONTADOR LEU: EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS, DE CLARE VANDERPOOL

Em-algum-lugar-nas-estrelas-livro-darkside-marcador POR AIRIS VITAL

Têm livros que são ótimos teletransportes, seja para o nosso passado ou um lugar que passamos a conhecer com tanto detalhe que nos transmite a sensação de estarmos lá. A autora norte-americana me ofereceu a oportunidade de voltar a minha infância através do romance, amizade, singularidade das personalidades, criatividade, o poder das conexões interpessoais, e como retornar ao universo imaginário. E isso foi indescritível para mim de tal forma, que ao terminar de lê a sensação foi automática, preciso lê de novo e devagar para degustar mais detalhes, aromas, cores, sensações de cada capitulo, desenhar o universo de cada personagem. Quem sabe não faço isso um dia e mostro aqui meus rascunhos (risos).

O enredo é bastante complexo, porém é conduzido com muita habilidade. (E quem sabe realizando a ligações entre eles não criamos verdadeiras constelações? Bem… quero apostar que na vida seja assim, tantas pessoas que entra/saí/fica, e o carinho aumenta e/ou reduz.) O contexto de cada personagem surge, como se você virasse pequenos elementos de um jogo de memória e montasse junto com Jack os pares, através das ligações.

E são muitos… Pois estava terminando a Segunda Guerra Mundial, ele perde a mãe, se distancia afetivamente e fisicamente do pai. Ao morar no Maine em um internato militar, lida pela primeira vez com o mar, a indiferença dos alunos. E então surge um moleque misterioso que não possui um convívio social. Ele descobre a genialidade de Early de decifrar e narrar com espontaneidade e fissura o número Pi (π), que apresenta a ele, não só os cálculos mais uma narrativa completa sobre a sua existência. E o que o surpreende em Early é a habilidade de lidar, com suas perdas e cicatrizes emocionais, ajudando-o a superar as suas.

“Não são só números. E não estou inventando uma história. A história está nos números. Olhe para eles! Os números têm cores… azul do oceano e do céu, grama verde, um sol amarelo e brilhante. Os números têm textura e paisagem, montanhas, ondas, areia e tempestades. E palavras… sobre Pi e sua jornada. Os números contam uma história”.

O interessante é a abordagem sobre diversos aspectos e um deles que me encanta é sobre a Síndrome de Asperger de uma forma tão suave que se torna encantador e único. A realidade é vivenciada através de aventuras, coincidências inevitáveis durante a jornada. Uma leitura de agradar a todas as idades.

Um outro fator inarrável para mim foi a forma que este livro chegou para mim. Minha colega de quarto tinha me falado dele, me interessei desde do momento que meus olhos observaram na web as gravuras e referencias astronômicas, na qual fazia muito tempo que não me deixava seduzir (pois desde de criança esse tema me fascina).  E um dia desses casuais e frenéticos, o encontro em um embrulho maravilhoso com a dedicatória dela, Obrigada Leidiane Barboza. Me sinto tão lisonjeada, ao escrever aqui sobre os livros: CUJO de Stephen King que ocorre também no Maine, e anteriormente O COLECIONADOR DE LAGRIMAS durante a Segunda Guerrra Mundial, parece até que está tudo inteiramente conectado (risos), ou até mesmo que são apenas continuações.

Enfim, a verdade é que esse semestre letivo entrei em uma overdose de informações e estou bastante entusiasmada para compartilhar…

Obs.: A editora compartilhou uma trilha sonora para o livro. Eu achei extremamente singular, compartilho aqui com vocês:

https://open.spotify.com/embed/user/darksidebooks/playlist/7iZluYie2PFtj47lAGr2i4

Boa Leitura!

O contador Indica.

Título: Em Algum Lugar nas Estrelas, Autor: Clare Vanderpool, Editora:  DarkSide®, Edição: 1a, ISBN: 978-85-66636-83-3, Especificações: 284 páginas.

Anúncios