FALTA DE TRANSPARÊNCIA, FOLHA ESTOURADA E DEMISSÕES

Após arrecadação recorde, crise se instala em São Miguel do Gostoso, e mesmo com gastos de pessoal acima do limite desde 2014, prefeitura inicia demissões de adversários políticos.

RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

De janeiro de 2015 até junho deste ano São Miguel do Gostoso arrecadou de ISS, cerca de R$ 9 milhões, recursos extras que superam o que foi arrecadado de impostos municipais desde sua fundação, graças a instalação de usinas energia eólica no município.

Infelizmente a população não tem usufruído o beneficio desses impostos, os altos valores contrastam com a qualidade dos serviços públicos, principalmente na saúde e educação, somado a isso foi anunciado pela prefeita e o seus secretários uma severa crise financeira. A população tem se perguntado para onde foi tanto dinheiro, e transparência também não tem sido o forte da prefeita de São Miguel do Gostoso, que devido a sua forte rejeição decidiu não concorrer a reeleição.

Mas o grupo da político da prefeita formado pelos seus correligionários do PMDB e DEM, o vice-Prefeito Paulo Roberto e seus secretários resolveram aderir a campanha de Renato de Doquinha (PSD) na esperança de dar continuidade ao atual governo. Além disso, Renato (PSD) tem como vice Azenate Câmara, ex-Controlador e sucedido pelo irmão Agildo da Câmara, ambos filhos da vereadora Maria Josalete (D. Letinha) do PMDB.

A Prefeitura na sua página oficial http://www.saomigueldogostoso.rn.gov.br/, apresenta um portal da transparência de difícil acesso e sem informações detalhadas. Mas nas últimas semanas a cidade de Gostoso se surpreendeu com a existência de um segundo Portal da Transparência que contém informações detalhadas, inclusive de Folha de Pagamento, através do http://www.governotransparente.com.br/6856490, com informações que talvez explique porque desde 2014 os gastos com pessoal (folha de pagamento) ultrapassam os 54% da Lei de Responsabilidade Fiscal. Em 2014 com 68,74%, em 2015 com 59,97% e até final de maio deste ano já chegava a 55,45%. Confira nos relatórios a seguir:

despesa-pessoal-20141
despesa-pessoal-20151
despesa-pessoal-3-bimestre-20161

Apesar de estar com a folha “estourada” a mais de dois anos, a atual gestão começou mesmo em período eleitoral a dispensar servidores, claro, começando pelos que não apoiam o candidato Renato de Doquinha, semanas antes da eleição foram dispensadas duas servidoras da Secretaria de Assistência Social. Hoje foram mais quatro servidores da Secretaria de Saúde. Já se teme que isso seja a ponta do iceberg e haja demissões em massa.

Anúncios